menu
Topo
Blog da Morango

Blog da Morango

Categorias

Histórico

Sexo oral não é preliminar, é sexo!

Universa

24/04/2018 04h00

São tantas "dicas" para "a trepada perfeita", "o sexo mais incrível da vida", "como fazer a mulher que você deseja querer transar com você" que pululam por aí que ao invés de esclarecer, geram ansiedade e medo, transformando o que era para ser simples e prazeroso numa tarefa exequível apenas por especialistas – ou teoricamente especialistas – enquanto sexo é vontade e prática.

Sexo oral não é preliminar, é sexo. Preliminar, segundo o dicionário, é o que é prévio; preambular; que antecede alguma coisa, inclusive o ato sexual. Preliminar é trocar memes, jogar conversa fora, rir junto, beijar na boca, dar uns amassos…

"Chupe a sua 'mina' como se a sua língua fosse o ponteiro de um relógio". "Chupe penetrando com um dedo ou dois". "Chupe mordiscando". Pipipi, popopo… Li e ouvi tanto sobre sexo oral que durante um tempo achei que eu gostava do jeito "errado", porque nenhuma dessas "pistas" me ajudava a encontrar "o caminho das pedras". E lá se foram anos acreditando que sexo oral era preliminar, um "aquecimento" antes do "jogo". Tsc, tsc, tsc.

Leia também

Regras para a melhor chupada: não há

Algumas mulheres preferem ser chupadas; outras, lambidas. Umas vão curtir penetração durante o sexo oral, outras não. (Conversei com vários amigos gays e héteros e entre eles também não há consenso sobre "o boquete ideal". Uns gostam de ter o pênis sugado de um jeito mais forte, outros preferem suavidade e movimentos com a língua na glande.) Basicamente, dá pra descobrir a predileção de alguém testando ou perguntando. Quem tem boca chega lá.

Ninguém tem obrigação de gostar de fazer sexo oral – nem de receber

E não tem sentido fazer sem gostar, pra "cumprir tabela". Faça se você estiver a fim, quando estiver a fim. E isso vale para tudo na cama ou fora dela.

"Waze" entre quatro paredes

Sabe aquele aplicativo que às vezes é a salvação no trânsito? Ele funciona porque mostra rotas desconhecidas e nos estimula auditiva e visualmente a segui-las. Entre os lençóis, é o jeito de pegar, apertar, arranhar, gemer, sussurrar, puxar e movimentar o corpo que faz isso. Só que aqui, ao invés de um monótono "em 100 metros vire à direita", temos uma extensa lista de possibilidades. De básicos "mais pra cima", "mais forte", "isso!", "que tesão!", "não para!", ao infinito e além.

O fator surpresa

Uma vez absorvida a informação de que sexo oral é sexo – e não uma reles preliminar – é hora de esquecer a previsível sequência chupadinha e metidinha. Ela até tem o seu valor, é verdade, mas não se compara a uma chupada totalmente inesperada feita com prazer.

Sobre a autora

Ana Angélica Martins Marques, a Morango, é mineira de Uberlândia, jornalista, fotógrafa e DJ. É também autora do livro de contos Quebrando o Aquário. Passou pela décima edição do Big Brother Brasil e só foi eliminada porque transformou o temido quarto branco no maior cabaré que você respeita. É vegetariana e cuida de três filhos felinos: Lua, Dylan e Mike.

Sobre o blog

Um espaço para falar de amor, sexo, comportamento feminino e feminismo com leveza e humor. Tudo sob o olhar de uma mulher esperta, que gosta de mulheres tão espertas quanto ela!