PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

BBB20: Da promessa de "incêndio no parquinho" a Chernobyl em uma semana

Universa

29/01/2020 04h00

"A qualidade podia ter sido um pouquinho melhor. Não veio uma novinha gatinha", afirmou Petrix, num show de horror sexista (Imagem: Reprodução/Globoplay)

Importunação sexual. Apologia à zoofilia. Diálogos sexistas e racistas. A vigésima edição do BBB, que começou há pouco mais de uma semana com Boninho prometendo "incêndio no parquinho", tem sido quente – como um reator de Chernobyl.

Importunação sexual

Logo na primeira festa, Petrix Barbosa, de 27 anos, se ofereceu para "estralar as costas" de Bianca Andrade, de 25. Ele a abraçou, comprimiu, tocou seus seios com os polegares e os chacoalhou. Embriagada e confusa, Bianca esboçou constrangimento, mas disfarçou com um sorriso.

Veja também:

Se o fato tivesse acontecido aqui fora, num bloquinho de Carnaval, por exemplo, qualquer um que presenciasse a cena poderia acionar a polícia e denunciar o ginasta por importunação sexual, que é crime.

A pena é de 1 a 5 anos de prisão de acordo com a lei 13.780, sancionada em 2018. Passadas de mão sem consentimento ou toques inapropriados – como os de Petrix em Bianca –, portanto, mais que moralmente inaceitáveis, configuram um ato criminoso.

O assunto repercutiu bastante nas redes sociais. A tag #PetrixExpulso esteve entre as mais comentadas do Twitter durante vários dias, mas nada aconteceu com o ginasta. Boninho deu de ombros. O Ministério Público, também.

Sexismo: a objetificação da mulher

Após sair incólume, o ginasta protagonizou mais um episódio execrável. Com Lucas Gallina, 26, Petrix comentou que "a qualidade das participantes poderia ter sido melhor" e reclamou da falta de "novinhas" no programa.

Lucas: "Essa edição é a que menos tem gata, gata mesmo."

Petrix: "São muito gente boa, divertida, louca, retardada… Mas a qualidade podia ter sido um pouquinho melhor. Não veio uma novinha gatinha."

Lucas: "Nas outras edições sempre tinha umas bem bonita."

Petrix: "Não veio uma novinha gatinha dessa vez."

A participante mais jovem desta edição é a cantora e compositora Gabi Martins, de 23 anos. A mais velha é a médica Thelma, de 35. A média de idade das mulheres do BBB 20 é de 27 anos. Na edição anterior, a média era de 29. Hariany, a mais nova, tinha 21 anos; Tereza, 52.

Racismo

"Você é uma mulher gostosa. A Thelminha, morena…", disse Hadson para uma sister, numa conversa no jardim. "Negra. Pode falar. É o certo, mesmo. Negra", rebateu Thelma, única negra entre as nove mulheres da casa. "Eu não falo 'é uma negra bonita', falo 'é uma morena bonita'", insistiu o ex-jogador de futebol, de 38 anos.

Naturalização da zoofilia

E o programa seguiu ladeira abaixo com diálogos surreais como o que aconteceu entre o arquiteto Felipe Prior, 27, e a influenciadora digital Mari Gonzalez, 25, que apenas no Instagram tem quase 4 milhões de seguidores:

Mari: "Tem gente que transa com animal."

Felipe: "Os peão da obra lá falou que tudo já, lá no Nordeste, mandava pau."

Mari: "É, gente. É anormal pra gente, mas é normal pra pessoa."

Felipe: "Os cara conta lá na obra que chegava no sítio e as cabrinha começava…"

Mari: "E tudo bem."

"O Alemão, meu funcionário lá, manda bala nas cabra tudo. O que tiver, tá traçando. Ele põe até os dedos no tornozelinho pra dar a altura", comentou Felipe, enquanto explicava, com os braços pra cima, como o animal ficava suspenso.

O diálogo provocou, com razão, uma intensa mobilização de ativistas da causa animal. Uma delas, a protetora Luisa Mell, desabafou no Instagram: "É inacreditável e inaceitável que tratem zoofilia dessa maneira em rede nacional. Não existe sexo com animais, assim como não existe sexo com crianças! É sempre abuso, violência, estupro. É vergonhoso, é criminoso.".

A repercussão fez com que Mari e Felipe fossem advertidos no confessionário. Após a bronca, ainda assustados, os dois não deram sinais de que tinham entendido a gravidade do que disseram e insistiam que tudo não passava de uma "brincadeira" mal interpretada.

Mari (de toalha na cabeça) e Felipe após serem chamados no confessionário, onde a transmissão foi cortada (Imagem: Reprodução/Globoplay)

"Seleção feita no esgoto?"

Bastante ativo no Twitter, Boninho, o diretor do reality, costuma responder seus seguidores – especialmente os que o elogiam ou comentam amenidades. Fugindo à regra, interagiu com um internauta que lhe perguntou em que esgoto tinha selecionado os homens desta edição. "Também não sei", respondeu o big boss, que escolhe cada brother a dedo, mas não sozinho.

"Em qual esgoto selecionou os machos dessa edição?", perguntou um internauta a Boninho (Imagem: Reprodução/Twitter)

Até ser confinado, cada candidato passa por uma seleção minuciosa. Além da entrevista frente a frente com outros diretores da atração (Boninho não é o único), uma bateria de exames médicos, psicológicos e até psicotécnicos é realizada. Nenhuma informação sobre a vida ou a personalidade do aspirante fica oculta. Nada passa batido. A composição do elenco é cuidadosamente planejada. Sei de todos esses detalhes porque já estive lá, dez anos atrás.

Naquele ano, com a escolha de três participantes abertamente homossexuais – e eu era um deles –, o programa deu visibilidade ao assunto e fomentou o debate sobre sexualidade de uma forma leve e divertida, mesmo com eventuais polêmicas, tropeços e falhas.

Bastante alardeada, a grande novidade do BBB 20 seria a mistura entre famosos e anônimos. Na prática, a diferença mais notável é a condescendência da direção do programa, que tem ignorado e relativizado absurdos.

Urge lembrar que o "incêndio no parquinho", prometido por Boninho, não fica restrito ao Projac, onde o reality é produzido, mas se alastra Brasil afora validando e naturalizando falas e comportamentos racistas, sexistas e criminosos.

Sobre a autora

Ana Angélica Martins Marques, a Morango, é mineira de Uberlândia, jornalista, fotógrafa e DJ. É também autora do livro de contos Quebrando o Aquário. Passou pela décima edição do Big Brother Brasil e só foi eliminada porque transformou o temido quarto branco no maior cabaré que você respeita. É vegetariana e cuida de três filhos felinos: Lua, Dylan e Mike.

Sobre o blog

Um espaço para falar de amor, sexo, comportamento feminino e feminismo com leveza e humor. Tudo sob o olhar de uma mulher esperta, que gosta de mulheres tão espertas quanto ela!

Blog da Morango