Topo

Histórico

Categorias

Casais que se expõem na internet: “O legal da exibição é ter apreciadores"

Universa

17/07/2019 04h07

No Twitter, Leia e Solo postam fotos, dão dicas para casais e revelam suas preferências no sexo: "gosto de um tapa bem dado seguido de um puxão de cabelo", entrega ela (Foto: Reprodução/Twitter)

"Não somos um casal padrão e, mesmo assim, o pessoal curte bastante"

Em Blumenau, Santa Catarina, Leia, de 25 anos, e Solo, 28, se conheceram pelo Tinder. Em um mês já estavam namorando; em cinco, morando juntos e dividindo uma conta picante no Twitter, onde são o @Casal_LeiaeSolo. "Eu já era praticante de exibicionismo e saía com um casal ou outro às vezes. De início foi um choque, ele ficou impressionado, mas fui explicando que era bem sigiloso, que não revelava nada sobre mim e tal. Fomos aos poucos. Gostamos do exibicionismo na internet e interagimos com muitas pessoas legais. Gosto dos comentários, de como a galera é criativa. Acho legal que não somos um casal padrão (magros ou de academia) e mesmo assim o pessoal curte bastante. Eu sou gordinha e ele também faz o estilo fofinho. Nunca imaginávamos chegar nem a 500 seguidores, e hoje temos mais de 72 mil!", conta Leia. Diferentemente do que acontece com blogueiros de outros segmentos, o casal ainda não recebeu "mimos" ou foi contratado para uma "publi", apesar do número expressivo de fãs. "Nunca fomos atrás, mas se acontecer, não vamos negar." O que move esses exibicionistas não é o dinheiro.

Veja também:

 

"Um dos baratos é o ego"

"Estamos casados há 15 anos, nos conhecemos em uma balada convencional. Quatro anos atrás, sugeri que ela tivesse um perfil exibicionista. Ela foi bem resistente, mas acabou aceitando. Um dos baratos é o ego. Minha esposa se achava pouco atraente e se surpreendeu com a quantidade de comentários. Fizemos muitas amizades. Outra vantagem, especialmente pra mim, é o tesão mesmo. Descobri que gosto muito de fotografá-la. A pior parte são os comentários sem noção. Bloqueio quem passa do limite", entrega o marido, de 48 anos. Ela tem 46. No Twitter, eles são o @Casalexhibit.

"O legal da exibição é saber que você tem apreciadores"

Adeptos ao exibicionismo e ao ménage, o @CasalDaVinci deixa isso claro na descrição do perfil deles no Twitter, onde têm mais de 26 mil seguidores. "Nos conhecemos há 15 anos. Quando tínhamos dois ou três anos de casados, tivemos nossa primeira experiência swinger, com um casal de amigos. Naquele tempo não se tinha informação sobre o mundo liberal na internet como se tem hoje. Pegamos gosto pela coisa, visitamos uma feira erótica e conhecemos casas de swing. Numa delas, nos afeiçoamos a um casal que nos apadrinhou e nos convidou a fazer parte do CRS (site/comunidade swinger). Lá, aprendemos que para conhecer e nos relacionar com outros casais era preciso ter um perfil atraente (com descrição do casal e fotos), e foi aí que passamos a nos fotografar."

"Acordei de madrugada com uma vontade louca de transar", legenda o Casal DaVinci em uma de suas fotos no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter)

"O barato (de ser exibicionista) deve ser o mesmo que é para um chocólatra comer um belo chocolate! Hahahaha! A melhor parte de fazer isso na internet é o grande número de pessoas que você atinge, pois o legal da exibição é saber que você tem apreciadores. A pior parte é que te deixa exposto a visualizações e comentários de caras preconceituosos que não curtem e nem respeitam nossa fantasia", entrega o @CasalDaVinci, um casal de bancários que vive em São Paulo.

"Depois da chegada do nosso filho, comecei a admirar e sentir tesão por mulheres"

Filha única de um casal conservador, a argentina Betina Juanes, 46, reagiu com um tapa quando o marido sugeriu um ménage. "Eu era muito limitada naquela época", lembra. Após alguns anos de casamento e depois da chegada do primeiro filho, ela reavaliou a ideia. "Comecei a admirar e sentir tesão em fotos e vídeos de mulheres… Foi então que começamos a fazer fotos e vídeos sensuais e eróticos. Iniciamos um perfil no Sexlog.com e rapidamente já tínhamos mais de 200 mil seguidores, algo que naquela época me assustava um pouco", expõe Betina, que teve a primeira experiência de sexo a três aos 30 anos.

"Entrei no Twitter em 2009. Conhecemos muita gente, fizemos dezenas de ménages, e tive duas namoradas que Jonas apoiava. Com isso, nossa segurança no amor e também como praticantes e bissexuais se solidificou", conta Betina (Foto: Reprodução/Twitter)

"De lá pra cá, as redes sociais acabaram virando um espaço de admiradores, mas o que mais gosto de fazer é ajudar as pessoas com minha experiência. É impressionante a quantidade de casais que querem dar um passo diferente. Mulheres então, nem se fala! Hoje mesmo acabei de saber de uma mulher que ela finalmente teve sua primeira experiência com outra e amou! Ganhei o dia! Isso vale tudo, e acontece o tempo todo. Considero que tudo faz parte de uma liberação sexual. Sempre incentivo as pessoas a criarem seus perfis eróticos, é libertador", defende Betina, que tem quase 100 mil fãs no Twitter, Instagram e Facebook.

Sobre a autora

Ana Angélica Martins Marques, a Morango, é mineira de Uberlândia, jornalista, fotógrafa e DJ. É também autora do livro de contos Quebrando o Aquário. Passou pela décima edição do Big Brother Brasil e só foi eliminada porque transformou o temido quarto branco no maior cabaré que você respeita. É vegetariana e cuida de três filhos felinos: Lua, Dylan e Mike.

Sobre o blog

Um espaço para falar de amor, sexo, comportamento feminino e feminismo com leveza e humor. Tudo sob o olhar de uma mulher esperta, que gosta de mulheres tão espertas quanto ela!

Blog da Morango